Autor

Minha foto

Arquiteto e Urbanista, sócio fundador do escritório FAUST arquitetura em 2005, trabalhando no mercado de arquitetura, engenharia e design. Graduado pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC em 2004.Pós-graduado em Espaço celebrativo litúrgico e arte-sacra na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia [FAJE].
Assina a autoria de 108 Igrejas, 22 salões paroquiais, 18 centros de evangelização, 5 sedes de ação social e 8 casas paroquiais, em 13 estados, 57 cidades no Brasil e no México. Além disso participou em outros projetos e obras como consultor. Ministra palestras e Cursos em Arquitetura Sacra. Escreve artigos para a revista Paróquias e Casas Religiosas de São Paulo.


CONTATO

arq.Eduardo.Faust | CAU A44041-8 | FAUST arquitetura | CAU 33490-1

■ Cel. whatsapp | 48 | 999779388 EMAIL | contato@eduardofaust.com
SITE | eduardofaust.com
■ FACEBOOK | facebook.com/FAUST.eduardo

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

■ São Pedro | Cruz Invertida e a Chave do reino dos Céus

■ Igreja de São Pedro Apóstolo
■ Paróquia Nsa Sra da Boa Viagem
■ Pároco | Frei Edimilson
■ Autor | Arq Eduardo Faust 
■ Projetos | FAUST █ SALVAGNI



■ O que foi feito? |  Readequação litúrgica, criação de mobiliário litúrgico, cálculo e planejamento de iluminação, otimização de layout e criação da sacristia, nova capela do santíssimo, átrio, fachada.


█ PRESBITÉRIO

A primeira ação foi a retirada da divisória entre presbitério e capela do santíssimo, para dar centralidade ao altar e unir estes espaços. De tal ação herdamos um pilar ocupando parte do presbitério, existe um ditado que diz que o pilar é o melhor amigo do arquiteto, nestes casos o ideal é fazer com que o pilar ajude na composição espacial.


Com o presbitério limpo o pilar em questão retira a simetria e dificulta a ênfase na centralidade do Altar, por isso foi criado um patamar exclusivo que o contorna e cria um eixo central no forro da nave. O ambão foi colocado a frente do pilar, a capela do santíssimo atrás, e a sédia ao lado oposto compondo em diagonal com a tríade e linearmente com o sacrário.

O templo tem como padroeiro São Pedro que junto com São Paulo formam os pilares da Igreja.
O nome original de Pedro era Simão que foi batizado por Jesus como Kepha ou Cefas em português que signica Pedra.
São Pedro foi crucificado de cabeça para baixo com uma cruz invertida.






O pilar que tanto trabalho deu na composição do presbitério da suporte para a representação de São Pedro unindo as 3 simbologias citadas:
O pilar da igreja foi revestido de pedra bruta e nela foi escavada uma cruz invertida.



█ FACHADA

O trabalho em arcos marca a entrada e da escala a igreja.
O símbolo de São Pedro são as chaves | Eu te darei a chave do reino dos Céus [Mt 16, 19].
A torre foi desenhada fazendo analogia com chaves antigas.

 






quinta-feira, 20 de outubro de 2011

■ Igreja parque, igreja centro cultural, igreja escola... O que construir anexo ao templo?


As Igrejas em sua grande maioria possuem instalações adjacentes, as vezes em construções isoladas no mesmo terreno, outras anexas ao corpo da Igreja e outras no terreo do edifício. Propostas adotadas conforme o tamanho e aproveitamento do terreno.

O principal é o que construir, como tratar esta área adjacente. Vejo que o programa na maioria das vezes é feito sem muito planejamento sobre o programa em si, ele é baseado em experiências de paróquias vizinhas que trata basicamente de: Salão multi uso, salas de catequese e casa proquial.


Analisando o uso real dado para as instalações "extras" do edifício Igreja vemos:
- O salão multi uso é tratado como um local de encontro, utilizada como: cozinhas comunitárias improvisadas; salas de projeção improvisadas e de eventos culturais em geral; sala de reuniões; e o seu uso prioritário: festas da comunidade [maior fonte de renda de grande parte das Igrejas].
- Salas adjacentes ao salão tornam-se secretariais paroquiais, salas de administração da ação social, sala da equipe de canto, etc.
- O conjunto de salas de catequese são desprovidas de infraestrutura de salas anexas [biblioteca, sala de informática] tratadas como salas provisórias.
- A casa paroquial na maioria das vezes possui layout adaptado, sempre com caráter provisório.


■ Igreja de dois pavimentos: Tipologia mais procurada para novos edifícios.

O programa básico se trata da igreja no segundo pavimento e no térreo salão multi uso, porém anexo ao salão temos muitas vezes centro de evangelização, as vezes lojas, as vezes capela, as vezes casa paroquial.

A motivação é pragmática: Aproveitamento do terreno e de transformar dois canteiros de obra em um.
Necessita-se bastante planejamento, pois os custos aumentam significativamente principalmente pelo peso que ganha a estrutura com o pavimento extra. Em contra partida a área construída estará dobrada sem que os custos sejam dobrados.

Em questões de resolução espacial, de acessibilidade layout exige muito mais do arquiteto, principalmente em questões estéticas, temos grandes escadarias ocupando grande parte do terreno e um volume robusto muitas vezes com largura e altura proporcionais.

Igreja Sr Bom Jesus dos Passos em São José.SC [Arq. Eduardo Faust]



█ | Estruturando o programa:

■ Centro cultural e de evangelização | Sala de projeção, biblioteca, sala multimídia, salas de aula, sala de reuniões/conferência, auditório, sala de leitura, sanitários.
■ Centro de ação social | Salas administrativas, salas de aula, salas mulltiuso, sala multimidia, sanitários.
■ Casa paroquial | Suites, oratório, escritório, biblioteca, sala, cozinha, lavanderia, sanitários, etc.
■ Salão Multi uso | Estrutura com cozinha industrial, bar e palco. Com isolamento/tratamento acústico, bar e cozinha construídos sob as normas da vigilância sanitária.

A catedral Nossa Senhora dos Anjos em Los Angeles [arquiteto Rafael Moneo] possui em suas instalações uma grande praça, loja e café. Sendo a Igreja tratada como um local para se passar o dia, assim como ir a um parque, ou simplesmente como a prática antiga de ir a praça em frente a Igreja.

Catedral Nossa Senhora dos Anjos em Los Angeles, California [arquiteto Rafael Moneo]
 Em suma o conceito é pensar o espaço como um centro de cultura cristã, sendo o ponto de encontro da comunidade aonde possam aprender e conversar sobre religião, estendendo o convívio entre fiéis além do culto.


█ | Projeto da ASCUNSEG Ação Social e Cultural Nossa Senhora da Glória em Florianópolis.

A reformulação do espaço foi projetada pelo escritório FAUST■SALVAGNI sob a assessória do Pároco Tarcísio Vieira.

A principio ele foi desenvolvido com um programa complexo complexo, na segunda versão o programa foi simplificado afim de expandir a área do salão multiuso e o número de salas de aula.

 No projeto a casa paroquial aparece de forma independente porem a sede da ASCUNSEG e o centro de envagelização compartilham espaços.

■ Ação Social + Centro de evagelização | Auditório; secretária paroquial, administração ascunseg, sala de atendimento, recepção, salas de aula, auditório com camarim, sanitários, foyer e café; sanitários.
■ Salão Multi uso | Cozinha, bar, depósitos e sanitários.
■ Casa Paroquial | Garagem, sala, cozinha, lavanderia, escritório, escritório do pároco, capela, duas suites, suite de empregados.
■ Área externa | Oratório Nsa Sra da Glória, área de convivência.



■ Planta Baixa projeto ASCUNSEG + Casa Paroquial + Centro de Evangelização
À Construir               À Demolir                Existente

■ Perspectiva Isométrica dos espaços
 

A segunda e definitiva versão, foi retirado o auditório e sua estrutura, assim como foi reduzida a estrutura paroquial, centrando o projeto na ASCUNSEG e no salão multiuso que também será utilizado pela instituição.
 

■ Planta Baixa projeto ASCUNSEG + Casa Paroquial


 
À Construir               À Demolir                Existente

  A reforma foi simplificada diminuindo o volume construído e a complexidade de equipamentos isso  reduziu o custo viabilizando a obra. A área externa ganhou mais espaço criando uma área de convívio mais ampla dando espaço ao oratório Nsa Sra da Glória.

■ Perspectiva Isométrica dos espaços
 
■ Maquete do Oratório Nsa Sra da Glória

■ Planta Baixa Oratório Nsa Sra da Glória e espaço de convivência

■ Perspectiva Oratório Nsa Sra da Glória e espaço de convivência

■ Maquete do Oratório Nsa Sra da Glória







quinta-feira, 4 de agosto de 2011

■ INTERIOR DA IGREJA SÃO MIGUEL e STA RITA ■ Autor Arq. Eduardo Faust

A igreja de São Miguel Arcanjo e Santa Rita da Paróquia Santa Cruz, foi completamente reformada; adequando-a a liturgia pós concílio Vaticano e tornando-a mais funcional e confortável para os fiéis. Junto da  igreja foram reformados: o salão paroquial e o centro de evangelização.
 

O Conceito da torre da Igreja  de São Miguel Arcanjo e Santa Rita de Cássia ja foi postado neste blog ele se encontra ██ neste link.

█ PRESBITÉRIO E ASSEMBLÉIA

A reforma foi efetuada sem alterar a estrutura do edifício, a nave foi expandida até a extremidade de fundos da construção, foram demolidas a antiga sacristia e depósitos, o ganho de área deu suporte para o desenvolvimento do novo presbitério e ao crescimento da assembléia.

Liturgicamente o presbitério deve situar-se ao centro da igreja com a assembléia ao seu redor. Quanto mais a distribuição da assembléia se aproximar desta conformação, mais apto a correta aplicação da liturgia o espaço estará. Este layout possui algumas dificuldades de aplicação por questões de ordem prática, sendo assim, os bancos foram dispostos formando um U, o Altar se projeto para o centro deste U. O papel do Altar como centro da liturgia fica evidenciado.





A tríade litúrgica, a Cruz e a fonte batismal foram dispostos em linha, criando um eixo - este eixo contem os elementos da liturgia, - ele simboliza e define o centro da Igreja...Cristo.

Os patamares do eixo possuem sua simbologia conforme o elemento litúrgico locado:
- A cruz processional é fixada no nível da assembleia, para a que o gesto de fincar a Cruz ao solo seja repetido em todas celebrações;
- O altar está elevado somente um degrau, aproximando-o dos fiéis em seu redor;
- O Ambão como sua origem diz ele se eleva para a proclamação da palavra;
- A Sédia encontra-se no patamar mais alto do eixo: o Cristo cabeça e seu corpo eclesial;
Nas lateriais do eixo litúrgico temos as imagens dos padroeiros: São Miguel Arcanjo e Santa Rita.
A iluminação foi cuidadosamente planejada para que o ambiente possua a devida atmosfera que um templo exige, além do correto e sustentável dimensionamento do sistema.



segunda-feira, 20 de junho de 2011

■ COMO PENSAR ILUMINAÇÃO DE IGREJAS ANTIGAS

A igreja do Santíssimo Sacramento e Santa Teresinha de Lisieux é um dos mais importantes monumentos neogóticos do Brasil. A pureza de suas formas e materiais a diferencia de outras importantes obras do mesmo estilo, como a catedral de São Pedro de Alcântara em Teresópolis e a catedral da Sé em São Paulo.


A obra foi projetada pelo engenheiro/arquiteto/construtor Frei Cyríaco, e construída nos anos de 1924 a 1931. A igreja possui elementos típicos da arquitetura gótica: Arco e arcada ogival (campata e arco a sesto acuto), abóbada de arcos cruzados, pilar composto (pilastri compositi), nave central com naves colaterais, vitrais,  clerestório, coro com cruzeiro, altar mor e altares secundários, abside, presbitério com cancelo, etc.

Todos elementos dispostos de forma a obedecer a rigidez modular e formal/estrutural das regras da arquitetura neogótica.
Foto externa: Lucas Padrauzzi | Fonte - panoramio - google.earth




█ RESUMO DO DIAGNÓSTICO DA ILUMINAÇÃO ANTES DA INTERVENÇÃO
■ A assembléia possui  níveis muito baixos de iluminância [abaixo da  norma NBR 5413], sendo a principal reivindicação da comunidade [dificuldade de leitura dos cantos].



■ O conceito da iluminação analisada está focada na beleza dos arcos do edifício
■ A composição arquitetônica do edifício não foi levada em consideração ao se locar as luminárias.
■ A liturgia possui elementos técnicos para que ela aconteça, a iluminação não da suporte a estes elementos [altar, ambão, sédia, assembléia, via sacra].


█ PROPOSTA
Ao se pensar uma intervenção em uma obra de tamanha importância deve-se levar em consideração alguns conceitos.

Os pontos de intervenção que interferem na estética da igreja devem ser  colocados de forma que respeite os elementos compositivos já instituídos, ficando clara a época do acréscimo, para que não se crie simulacros dos tempos da construção do edifício, fazendo com que não se confunda o patrimônio histórico com as intervenções.

Lista de pontos a serem iluminados:
■ Assembléia: Luz de leitura
■ Altar e ambão: Luz de leitura
■ Via sacra: Luz de leitura
■ Altares laterais: Luz de destaque
■ Imagens do presbitério e das naves colaterais: Luz de destaque
■ Arcos: Luz de destaque

A igreja não foi projetada pensando no uso de luminárias em seu interior, em casos como este tenta-se ao máximo esconder as fontes luminosas.

Depois de mapeados os pontos de interesse, diagnosticou-se que a iluminação da nave central e do presbitério, será feita de forma que as luminárias ficarão expostas, e com bastante destaque visual, interferindo na estética. Sendo assim elas devem ser desenhadas respeitando os pontos já citados.

A grande área cubica da Igreja e os poucos pontos para que se possa locar fontes luminosas, acabam por exigir lâmpadas com alto nível de iluminância. O cuidado com o ofuscamento dos fiéis é um ponto chave para o planejamento de tal sistema, sendo assim ela se fará de forma indireta.

Serão projetados anteparos para as luminárias da nave central. Além de evitar ofuscamento trará fácil manutenção e baixo custo.

A luminária fica escondida, logo, as futuras substituições poderão ser feitas por modelos distintos do original. Obedecendo as especificações técnicas, busca-se a luminária com melhor custo benefício, evitando a dependência de um único fabricante.

A estética pode ser feita dialogando com os conceitos específicos de uma obra sacra, sem precisar buscar no mercado uma luminária estéticamente interessante que teria alto custo e pode sair de linha.

O material utilizado [chapa metálica galvanizada com pintura eletrostática fosca]  ajuda no desempenho da iluminação por possuir alta reflexão. Possui alta resistência e peso próprio leve, facilitando a montagem. A peça pode ser retirada e levada para reparos quando necessários, facilitando a manutenção.
______________________________________________________________________

 NBR5413 ILUMINÂNCIA DE INTERIORES
5.3.30 Igrejas e templos.

- nave, entrada, auditórios, sem ofício .......... 30 - 50 - 75 (lux)
- nave, entrada, auditórios, com ofício ........ 100 - 150 - 200 (lux)







 



A estratégia adotada para se conciliar a antiga arquitetura com a intervenção, foi a criação de uma sequência de anteparos e duas luminárias que obedeçam a composição do edifício, tanto na modulação quanto nas formas, trazendo referências históricas da ordem dos Frades Carmelitas.

Foi no símbolo da ordem dos Irmãos Descalços da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo [ou Carmelitas Descalços, ou Frades Carmelitas] que se buscou a referência para a estética do projeto.

As linhas do escudo e as 3 estrelas são os pontos da releitura, como ilustram os desenhos. Apesar de haver uma harmonia o material utilizado contrasta com as paredes do edifício para que se mostre a data de sua intervenção.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

■ FOTOS DA OBRA IGREJA SÃO MIGUEL ARCANJO | Autor Arq.Eduardo Faust

Veja tambem a matéria sobre o projeto da torre desta igreja.
██ Neste link

█ FOTOS DA OBRA
Cobertura de estrura metálica e telhas metálicas da Igreja e de parte do salão multiuso nos fundos.
Detalhe na cumeeira, para exaustão, otimizando a ventilação natural no interior.
Custo da estrutura+telhas R$ 50.000,00 [junho/2011]





quinta-feira, 19 de maio de 2011

■ IGREJAS DE MARIO BOTTA

É fácil de notar a linguagem arquitetônica do suiço Mario Botta. Volumetrias e espaços esculpidos num prisma.

Tratando das igrejas vemos algumas características que enfatizam e ajudam a dar a ambiência sacra necessária:

Iluminação natural abundante, com brises que com a luz ajudam a desenhar o ambiente.
Pé direito alto, que a forma enfatiza a busca ao céu.
Colunata e arcos romanos.
O uso de materiais crus, blocos cerâmicos, pedras, madeira, etc.
Quase todas suas Igrejas são projetadas com planta circular.
Poucas aberturas, lembrando as Igrejas Românicas, podemos dizer em alguns casos - excessivamente pesadas.



■ Catedral da Ressurreição, Evry , França.
Com o custo de 13 milhões de euros, o complexo que engloba a catedral possui dimensões dignas de tal obra. A igreja com planta circular está encaixada a um complexo em formato de "U", que delineia a quadra formando grande pátio interno. Apesar da beleza de sua nave a igreja é um exemplo de fachada excessivamente pesada.


Desaconselhável : Aqui vemos a mesa do comentarista idêntica ao ambão.



Capela do Santíssimo



■ Fachada da Igreja da paróquia de Genestrerio. Ticino, Suiça.


É um belo exemplo de intervenção respeitando o património histórico sem perder as características de seu tempo.






■ Igreja Matriz de Santo Volto, Turin, Itália.



Mobiliário litúrgico e imagem de Cristo desenhados de forma simples e bela.


Capela do Santíssimo

■ Capela de Santa Maria dos Anjos, Monte Tamaro, Ticino, Suiça

A obra prima de Mario Botta, apesar de manter todas características da linguagem do arquiteto, ela possui uma leveza sutil em sua composição.









Imagens retiradas do site oficial do arquiteto.